Hoje a tendência na educação é o self aprendizado. A Pearson, uma das maiores editoras de livros educacionais do mundo, encomendou uma pesquisa – Global Learner Survey, junto com a Harris Insights & Analytics – cujos resultados são muito interessantes. Há uma mudança global na educação, impulsionada por fatores como mudanças no cenário econômico, avanço tecnológico e percepção que os sistemas educacionais estão fora de sintonia com as necessidades e anseios dos alunos. No mundo todo há o surgimento de uma mentalidade “faça você mesmo” (do it yourself – DIY). Os aprendizes querem que as instituições de ensino reinventem o ensino e a aprendizagem, de forma a atender as demandas do novo mercado. Foram mais de 11000 entrevistados, de 19 países e com idades entre 16 e 70 anos. A Pearson publicou um guia om as implicações do estudo e consequentes oportunidades para o ensino superior.

 

Grandes Descobertas:

 

A mentalidade “faça você mesmo” está remodelando a educação. Os cursos de curta duração e ferramentas gratuitas online foram os campeões, no Brasil, dos instrumentos mais usados para obter novas qualificações.

 

Em 10 anos a aprendizagem digital e virtual será o novo normal.

 

O Life Long Learning deixa de ser uma filosofia e passa a ser a nova realidade – é necessário estudar sempre para manter-se atualizado.

 

A confiança nos sistemas educacionais está oscilante, principalmente nos EUA. No Brasil, 61% dos entrevistados acham que as faculdades e universidades não estão ensinando as habilidades corretas para trabalhar no mundo de hoje.

 

A geração Z (no UK, USA e Austrália) acredita ser possível ser bem sucedido sem uma educação superior tradicional. E um curso profissionalizante pode dar as mesmas oportunidades de sucesso.

 

Brasil, China, Índia e América Hispânica acreditam que a educação está impulsionando a economia global e 31% dos respondentes nesses países tem buscado se requalificar nos últimos 2 anos.

 

Soft Skills:

 

Soft Skills são e serão o grande diferencial que dão vantagens aos humanos sobre as máquinas. Habilidades como pensamento crítico, resolução de problemas e criatividade não são ensinadas nas universidades e isso é necessário para que o estudante esteja mais capacitado para enfrentar o ambiente de trabalho.

 

Qualquer que seja sua área de atuação, nesse mercado totalmente globalizado, falar outro ou outros idiomas é fundamental – entender as diferenças culturais tem tudo a ver com soft skills.

 

Pense nisso ao procurar o denominador comum que poderá te dar acesso a esse mundo novo da educação – inglês / espanhol.

Esses 2 idiomas são os mais falados no mundo (apenas o chinês tem mais falantes nativos).

 

Cursos curtos – focados, on demand, flexíveis, voltados para necessidades específicas.

 

É isso que você precisa.

 

Quer se alinhar seu aprendizado de inglês com esse novo método? Procure escolas como a BICSCHOOL, ela pode ajudar da melhor maneira, permitindo que você personalize suas aulas da forma que quiser. Visite o site da BICSCHOOL para mais informações.